Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro diz que vetará proposta que cria 'passaporte da vacinação' no País

O projeto, de autoria do senador Carlos Portinho (PL-RJ), prevê um certificado para quem já foi vacinado

Gustavo Côrtes e Matheus de Souza, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2021 | 11h46

O presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta terça-feira, 15, uma proposta em discussão no Congresso que cria o chamado “passaporte covid”, como foi batizado o documento com informações sobre a imunização. A medida já foi aprovada pelo Senado e ainda precisa de aval da Câmara antes de ser enviada à sanção presidencial.

O projeto, de autoria do senador Carlos Portinho (PL-RJ), prevê um certificado para quem já foi vacinado. Presença em hotéis, cruzeiros, parques e reservas naturais estariam condicionadas à obtenção do documento, de acordo com a proposta. O texto prevê autonomia dos Estados para controlar a possibilidade de locomoção e acesso a serviços com base no passaporte de imunização. 

Segundo Bolsonaro, porém, a medida só valerá se o Congresso derrubar seu veto. “Se passar, eu veto, e o Parlamento vai analisar o veto. Se derrubar, aí é lei”, disse a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. 

No Senado, a proposta foi aprovada por 72 votos a 0. Contou com o apoio, inclusive, de senadores aliados ao Palácio do Planalto, como os líderes do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), e no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE).

Documentos semelhantes já têm sido testados em diversos países como instrumento para retomar a normalidade após a vacinação em massa. Bolsonaro não se mostrou contrário à possibilidade de que brasileiros precisem comprovar vacinação para viajar ao exterior, caso a ideia prospere. “Cada país faz suas regras. Se você não tomar, você não entra”, disse. Em seguida, voltou a afirmar que não deseja tornar a imunização obrigatória em território nacional.

Publicidade. Na conversa com apoiadores, Bolsonaro também defendeu a redução dos investimentos em peças publicitárias com informações sobre a pandemia do novo coronavírus. “Alguém precisa de propaganda na televisão sobre covid ou todo mundo sabe o que está acontecendo?” Ele ainda voltou a criticar as medidas de isolamento social adotadas por Estados e municípios para conter a disseminação do novo coronavírus.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonarovacinaçãocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.