Marcos Corrêa/Presidência da República
Marcos Corrêa/Presidência da República

Bolsonaro diz que não mudou hábitos após notícias de hackers

Em café da manhã com jornalistas, presidente afirmou que segue usando o WhatsApp e não tem nada a esconder

Renata Agostini, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2019 | 14h11

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse que não mudou seus hábitos após as notícias de ataques de hackers em celulares de procuradores, delegados da Polícia Federal e juízes. Segundo ele, a única forma de ter 100% de segurança é por meio de conversas pessoais.

"Sigo agindo da mesma maneira. Não tenho nada a esconder", afirmou nesta sexta-feira durante café com jornalistas ao ser questionado se continuava a usar o aplicativo WhatsApp. O Estado foi um dos convidados do encontro, que ocorreu no Palácio do Planalto.

O presidente disse que não usa o celular criptografado fornecido pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI). "Se há um telefone grampeado, este é o meu", disse Bolsonaro.

O general Augusto Heleno, do GSI, afirmou que todos os ministros receberam no início do ano o aparelho com criptografia, mas que ele é muito "incômodo" de utilizar, já que só funciona com aqueles que têm o mesmo programa instalado no celular. Segundo Heleno, a maioria dos ministros usa durante uma semana e acaba desistindo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.