Reprodução/Equipe Jair Bolsonaro
Reprodução/Equipe Jair Bolsonaro

Bolsonaro diz que eleição não foi fácil e pode ser explicada pelo 'amor de Deus'

Presidente eleito concedeu entrevista ao pastor Silas Malafaia em programa veiculado pela Band

Renata Batista e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2018 | 13h17

Em entrevista ao pastor Silas Malafaia, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que sua eleição não foi fácil e que só pode ser explicada “pelo amor de Deus”. A conversa, de aproximadamente dez minutos, foi gravada na última terça-feira, 30, quando Bolsonaro esteve na sede da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, zona norte do Rio, mas foi ao ar neste sábado, 3, no programa de mesmo nome, na Band.

“Longe de mim querer ser o salvador da pátria”, disse o presidente ao pastor. “Mas o País não podia continuar flertando com o comunismo, o socialismo, com o populismo, com o desgaste dos valores familiares.” Bolsonaro afirmou que, durante a campanha, “em suas andanças pelo Brasil”, sempre dizia que o País precisava de um presidente “homem ou mulher, que fosse honesto, que tivesse Deus no coração e que fosse patriota”.

O presidente eleito contou que já esteve duas vezes com autoridades de Israel, que teriam se colocado à disposição para ceder tecnologia capaz de atender ao problema da falta de água no Nordeste. “Com essa tecnologia, podemos fazer até melhor do que em Israel: lá chove menos do que no nosso semiárido”, afirmou. “Com isso, vamos dar independência ao povo do Nordeste, para que saia das mãos dos coronéis.”

Ele contou que conversou com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e com Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. Segundo Bolsonaro, o presidente americano disse que “está muito feliz” com sua vitória.

Sobre a formação de seu governo, Bolsonaro voltou a afirmar que está em busca de nomes técnicos para os ministérios. “A consequência final do 'toma lá, dá cá' é a ineficiência do Estado”, disse. “Por isso estamos montando um ministério de pessoas técnicas, que responda aos anseios da população e não a agremiações partidárias.”

Jair Bolsonaro afirmou ainda que pretende governar pelo exemplo. “Vamos valorizar a família brasileira, respeitar a inocência das crianças em sala de aula, ter uma política de enfrentamento da violência – porque não há economia com violência –, fazer comércio com o mundo todo, sem viés ideológico, e buscar tecnologia com países mais desenvolvidos.”

O pastor Silas Malafaia, que casou Bolsonaro com sua atual mulher, Michelle, há onze anos, falou sobre a nova primeira-dama: “É uma mulher discreta, simples, que gosta do ser humano, que (na minha igreja) costumava servir a mesa, é prendada, gosta do ser humano e tem um trabalho lindo com deficientes auditivos.”

Bolsonaro vai ao centro do Rio 

Cercada de muito tumulto e os tradicionais gritos de "mito", a visita do presidente eleito Jair Bolsonaro ao seu antigo salão de cabeleireiro neste sábado, 3, mudou a rotina do bairro de Bento Ribeiro, na zona norte do Rio de Janeiro. Em poucos minutos, a rua do salão ficou tomada de curiosos, interrompendo o trânsito e causando um grande engarrafamento no entorno.

Morador por anos do bairro, onde nasceram seus filhos do primeiro casamento, Bolsonaro fez questão de voltar ao seu antigo salão para que o barbeiro Antonio Oliveira fizesse o primeiro corte como presidente eleito. Dentro do salão, segundo vídeo divulgado pela assessoria de Bolsonaro, o clima foi de festa, cordialidade e muitas fotos com os funcionários.

De acordo com assessores, apesar de ter posado para fotos na sexta como se estivesse cortando o cabelo, o corte de verdade foi feito neste sábado. Após sair do salão ovacionado por dezenas de pessoas com o grito de "mito", o deputado iria retornar para sua casa na Barra, segundo assessores. 

Mais conteúdo sobre:
Silas MalafaiaJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.