Marcos Pereira/ Estadão
Marcos Pereira/ Estadão

Bolsonaro diz que é preciso 'enfrentar vírus como homem e não como moleque'

Após visitar o comércio em Brasília e contrariar orientações do ministro da Saúde, presidente afirmou que é preciso tomar cuidado com os mais velhos, mas que 'um dia todos nós vamos morrer'

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2020 | 21h16

Após visitar o comércio em Brasília e em cidades vizinhas na manhã deste domingo, 29, contrariando mais uma vez o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e autoridades médicas de todo o mundo que defendem o isolamento social contra o novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é preciso enfrentar a doença "como homem, pô, não como moleque". Na volta do passeio, disse ainda que é preciso tomar cuidado, especialmente os mais velhos, mas que um "dia todos nós vamos morrer"

"Temos o problema do vírus, temos, ninguém nega isso aí. Devemos tomar os devidos cuidados com os mais velhos, as pessoas do grupo de risco. Agora, o emprego é essencial. Essa é uma realidade. O vírus tá aí, vamos ter de enfrentá-lo, mas enfrentar como homem, pô, não como moleque. Vamos enfrentar o vírus com a realidade. È a vida, todos nós vamos morrer um dia", afirmou o presidente, segundo a TV Globo.

 

Bolsonaro também comentou por que saiu às ruas. "Hoje é domingo, tem pouca gente na rua. Agora, eu não marquei nada em lugar nenhum. Fui tudo de forma inominada, entra lá, para aqui. Eu não juntei ninguém para fazer um oba oba, nada disso. Fui reconhecido, não teve nenhum grito por parte da população."

Em seguida, para reforçar a necessidade de as pessoas trabalharem, informou que "mulheres estão apanhando em casa", sem mencionar qualquer estudo a respeito.

"Vai condenar esse cara a ficar dentro de casa? Ficar dentro de casa? Ele não tem poupança, não tem renda. A geladeira, se tiver, já acabou a comida, pô. Tem que trabalhar, tem que sustentar a família, cuidar dos filhos. Temos um problema mais sério no momento. Tem mulher apanhando em casa. Por que isso? Em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. Como é que acaba com isso? Tem que trabalhar, meu Deus do céu."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.