Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Bolsonaro diz que cassação de deputado pelo TSE foi um ‘estupro’

Aliado do presidente perdeu mandato por disseminar fake news em decisão inédita da Corte

Gustavo Queiroz, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2021 | 19h18

PONTA GROSSA (PR) – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 5, que a cassação do mandato do deputado estadual Fernando Francischini (PSL) foi um “estupro” e uma “violência contra a democracia”. Bolsonaro também sugeriu que o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB), deveria reagir. “Assim como (presidente da Câmara) Arthur Lira reagiu quando a CPI do Renan Calheiros indiciou deputados federais”, disse em evento realizado em Ponta Grossa, no Paraná. 

Francischini teve seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em uma decisão inédita, por 6 votos contra 1, por disseminar notícias falsas contra as urnas eletrônicas durante as eleições de 2018. Na avaliação dos ministros, o ex-deputado fez uso indevido dos meios de comunicação e cometeu abuso de autoridade durante uma live publicada em sua conta pessoal no Facebook. Na ocasião, ele alegou que as urnas não registravam os votos adequadamente.

Conforme mostrou o Estadão, o julgamento de Francischini pode balizar decisões futuras em processos sobre desinformação relacionada às urnas, já que foi o primeiro a discutir o mérito da questão e determinar a cassação de um mandato. Em diversas ocasiões o presidente Jair Bolsonaro também acusou as urnas de estarem fraudadas, sugerindo evidências que não se confirmaram.

Durante pronunciamento em Ponta Grossa, Bolsonaro também disse que confiará no voto eletrônico nas eleições de 2022. O presidente apontou que as equipes de inteligência das Forças Armadas acompanharão todo o processo “do código-fonte à sala secreta” junto a outras entidades.

‘Votaram em um cara do Centrão’, afirma Bolsonaro

O presidente também afirmou que os eleitores que votaram nele, “votaram em um cara do centrão”, minimizando críticas de que teria cedido aos desejos dos partidos políticos que fazem maioria no Congresso. 

Bolsonaro disse que dialoga com três partidos para disputar as eleições em 2022, entre eles o PP, partido do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PR) e o PL. “Jamais esperava que seria vereador do Rio de Janeiro, nem imaginava ser deputado federal. Fui por 28 anos”, disse, ao lembrar que já foi membro do partido de Barros. “Muita gente diz ‘ah, o Centrão’. Votaram em um cara do Centrão”.

Ricardo Barros, o ministro da Cidadania, João Roma, e a ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti, também participaram do evento, cujo objetivo era inaugurar uma ampliação do Sistema de Abastecimento de Água em Ponta Grossa e formalizar a cessão de um imóvel da União ao município de Paranaguá (PR), como forma de facilitar a regularização fundiária de cerca de cinco mil famílias que vivem na Ilha de Valadares.

As entregas, contudo, foram brevemente mencionadas por Bolsonaro, que assumiu tom de diálogo com apoiadores durante o pronunciamento.

O evento destinado a convidados foi o primeiro de uma série de compromissos do presidente no Paraná. No sábado, 6, Bolsonaro participará de uma motociata em municípios da região. Em Ponta Grossa, grande parte dos membros da plateia e da mesa não usavam máscara de proteção, apesar do decreto estadual exigir o uso em ambientes fechados e abertos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.