Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Bolsonaro deixa hospital após ser internado devido a 'desconforto' no abdômen

Presidente passou a noite no Hospital das Forças Armadas, em Brasília; agenda em Mato Grosso do Sul foi mantida

Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2022 | 22h54
Atualizado 29 de março de 2022 | 10h56

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro fez um rápido comentário sobre seu estado de saúde poucas horas depois de deixar o Hospital das Forças Armadas, onde passou a noite internado. Em frente ao Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira, 29, uma apoiadora disse que louvava a Deus por “mais um livramento de saúde” do presidente. “Isso aí é rotina, tranquilo”, respondeu Bolsonaro. Em seguinda, embarcou para Ponta Porã (MS) para participar de um evento de entrega de títulos de regularização fundiária.   

Até o momento, a Secretaria de Comunicação do governo (Secom) e a equipe médica de Bolsonaro não esclareceram o motivo da internação, nem os exames aos quais ele foi submetido e seus resultados. Bolsonaro divulgou um vídeo no Twitter, ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, falando sobre a viagem a Mato Grosso do Sul, mas não mencionou a ida ao hospital.

O presidente deu entrada na unidade de saúde ontem para a realização de exames, segundo disse à reportagem o ministro das Comunicações, Fábio Faria. De acordo com outra fonte, Bolsonaro sentiu dores no abdômen durante a tarde e foi atendido por médicos da Presidência. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, chegou ao Hospital às 22h34. 

O secretário Especial de Cultura, Mario Frias, disse ontem no Twitter que estava "orando" pelo presidente. 

No evento de filiação dos ministros Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) ao Republicanos, nessa segunda-feira, o presidente da legenda, Marcos Pereira, informou que Bolsonaro não foi ao ato porque passava por exames em Brasília. 

O presidente foi internado em janeiro deste ano com obstrução intestinal e ficou por dois dias no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após comer camarões sem mastigá-los corretamente. 

Bolsonaro tem problemas intestinais desde que tomou uma facada em setembro de 2018, quando ainda era candidato à Presidência. Ontem, no Twitter, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) disse que as "consequências da tentativa de homicídio" continuam "trazendo transtornos" à saúde do pai. 

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.