Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

Bolsonaro participa de sessão solene no Congresso e se reúne com militares

Parlamentar chegou à capital federal às 8h55 sob forte esquema de segurança

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2018 | 06h16
Atualizado 06 Novembro 2018 | 11h28

RIO - O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) chegou às 6h03 da manhã desta terça-feira, 6, à Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, onde embarcou por volta de 7h15 para Brasília. Esta é a primeira viagem dele à capital federal como presidente eleito. Bolsonaro chegou à capital às 8h55 e, ao Congresso, por volta de 9h50. Sob forte esquema de segurança, o presidente eleito foi acompanhado por um comboio de viaturas da Polícia Federal e por batedores da Polícia Militar

Na chegada ao terminal da Base Aérea de Brasília, Bolsonaro, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, e outros integrantes de sua equipe foram recepcionados pelo comandante do local, brigadeiro do Ar Ari Soares Mesquita, e pelo general reformado Augusto Heleno Ribeiro, indicado para integrar o novo governo. 

O presidente eleito participa de uma sessão no Congresso Nacional em comemoração aos 30 anos da Constituição de 1988, evento que contará também com a presença dos chefes dos Três Poderes e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Na quarta, Bolsonaro deverá se reunir com o presidente Michel Temer

Antes do início da sessão, os chefes dos Três Poderes se reuniram no gabinete de Eunício Oliveira (MDB-CE) no Senado. Participaram Bolsonaro, o presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a procuradoria-geral da República, Raquel Dodge, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e o vice-presidente da Câmara, Flavinho (PSB-SP).

Cumprindo mandato de deputado federal, Bolsonaro estava há mais de dois meses sem ir a Brasília. Ele levou uma facada em ato de campanha em Juiz de Fora (MG) em 6 de setembro. Passou um período internado em São Paulo e, desde o fim de setembro, não saiu mais do Rio.

Evento no Congresso

O primeiro compromisso oficial é a comemoração dos 30 anos da promulgação da Constituição, na Câmara, onde exerceu mandato nos últimos 28 anos. Os jornalistas estavam proibidos de entrar no plenário durante cerimônia. De acordo com a assessoria da Casa, o veto teria sido decidido para manter a segurança do local devido ao grande número de convidados.

No entanto, o presidente do Congresso, Eunício Oliveira (MDB-CE), deu uma contraordem na manhã desta terça e determinou a liberação da entrada de jornalistas no plenário da Câmara dos Deputados no momento em que o presidente eleito Jair Bolsonaro visitará o local. Questionado pela Coluna do Estadão, Eunício disse que não tinha conhecimento da determinação e informou que iria revogar a ordem de veto dada na segunda-feira. “Nunca faria isso”, disse sobre vetar a imprensa. 

 

No Congresso, Bolsonaro se encontrará com os presidentes dos três Poderes. Depois da sessão, o Estado apurou que o presidente eleito deve se reunir com representantes das Forças Armadas. Bolsonaro quer fazer uma deferência ao setor e dar sinais de que a área terá importância em seu governo, ainda que poderá não ser poupada do ajuste do orçamento.  

Estão previstos encontros separados com o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, e os comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.  / Marcio Dolzan, Tânia Monteiro, Leonencio Nossa, Andreza Matais e Mariana Haubert

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.