Nlton Fukuda|Estadão
Nlton Fukuda|Estadão

Bolsonaro avalia advogada do 'Aliança' ou chefe de gabinete para Subchefia de Assuntos Jurídicos

Ambos são cotados para ocupar cargo de Jorge Oliveira, que pode assumir Ministério da Justiça; chefe de gabinete, Pedro Sousa acompanha presidente desde a Câmara de Deputados

Jussara Soares, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2020 | 15h52

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro avalia indicar o seu chefe de gabinete, Pedro César Nunes de Sousa, ou sua advogada Karina Kufa, à frente da criação do novo partido Aliança pelo Brasil, para a Subchefia de Assuntos Jurídicos (SAJ). O órgão responsável pelos atos jurídicos da Presidência é acumulado hoje pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, que deve ser confirmado ainda neste domingo como novo ministro da Justiça.

Com a indicação de Oliveira como substituto do ex-ministro Sergio Moro, o atual secretário de Assuntos Estratégicos (SAE), almirante Flávio Rocha, deve assumir como ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, mas não acumulará a SAJ. As mudanças ainda aguardam confirmação no Diário Oficial da União (DOU).

Bolsonaro procura um nome de sua confiança para a SAJ, uma vez que o órgão é um dos mais importantes no governo. Pelas mãos da SAJ passam todos os atos jurídicos do governo para certificar sua conformidade legal.

Alguns subchefes de Assuntos Jurídicos de governos passados são hoje ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), como são os casos do ministro Gilmar Mendes e do atual presidente da Corte, Dias Toffoli.

Advogado e major reformado, Pedro Sousa é considerado do núcleo duro do presidente, que o acompanha desde a Câmara de Deputados. Com a eleição de Bolsonaro, ganhou o cargo de chefe de gabinete. Discreto, ele é próximo de Jorge Oliveira e entre suas atribuições está a de organizar a agenda do presidente.

Karina Kufa, por sua vez, passou a ter mais contato com Bolsonaro durante a campanha presidencial e se tornou próxima do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A advogada assumiu a defesa do presidente em diversos processos na Justiça após o rompimento de Bolsonaro com o ex-ministro e advogado Gustavo Bebianno, que o representava perante a Justiça. Karina também está à frente da criação do novo partido Aliança pelo Brasil, em que ocupa o cargo de tesoureira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.