Edilson Rodrigues/Agência Senado
Edilson Rodrigues/Agência Senado

Bolsonaro amplia fatia do Centrão no governo com dois novos vice-líderes no Congresso

Senador Jorginho Mello (PL-SC) e o deputado Eros Biondini (PROS-MG) assumem cargos na articulação política do governo

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2020 | 19h11

BRASÍLIA – O governo Jair Bolsonaro ampliou o espaço do Centrão na articulação política e escolheu dois novos vice-líderes para o Congresso Nacional. O Planalto decidiu colocar na função o senador Jorginho Mello (PL-SC) e o deputado Eros Biondini (PROS-MG), parlamentares que têm se mostrado fiéis ao chefe do Executivo nas votações.

Com isso, o governo passa a ter dez vice-líderes no Congresso, escolhidos entre os partidos MDB, PL, Republicanos, MDB, PSD, PP, DEM e PROS na Câmara e no Senado. A liderança do governo é responsável pela articulação de projetos orçamentários e de vetos presidenciais, temas que envolvem interesses diretos do presidente da República e que precisam ser analisados conjuntamente pelos deputados federais e senadores.

A ampliação das vagas ocorre no momento em que o governo tentará aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA) no Legislativo. A tramitação dos projetos está parada em função de uma disputa pelo comando da Comissão Mista de Orçamento (CMO). O colegiado é disputado pelos grupos do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do deputado Arthur Lira (PP-AL), antecipando a eleição para a sucessão de Maia em 2021.

Como revelou o Estadão/Broadcast, Jorginho Mello foi procurado pelo presidente Bolsonaro para assumir a vice-liderança do governo no Senado após o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca e acusado de desviar recursos da covid-19, ser tirado da função e pedir licença do mandato. A liderança no Senado é comandada por Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

O presidente, porém, resolveu colocar Mello na liderança do governo no Congresso, comandada pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO), que brincou com a reviravolta. “É igual Barcelona e Real Madrid. Conseguimos contratar primeiro”, afirmou o parlamentar ao Estadão/Broadcast. “O Jorginho Mello já um senador que vota com o governo e o PL tem ajudado muito.”

Na última sexta-feira, 23, o presidente Jair Bolsonaro conversou com o senador Jorginho Mello sobre a vice-liderança, em uma reunião no Palácio do Planalto. Bolsonaro e Jorginho Mello devem se reunir mais uma vez na próxima terça-feira, 3, para dar andamento à negociação. Em aceno ao parlamentar, Bolsonaro deu aval para uma terceira fase do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), proposta apresentada pelo senador catarinense. /COLABOROU CAMILA TURTELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.