Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Bolsonaristas que foram alvo de ação do STF somam 19 milhões de seguidores

'Ação pode ter criado uma perturbação no ecossistema de informação do bolsonarismo, mas ele continua em operação e se preparando para os próximos passos', diz diretor da consultoria Bites

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2020 | 05h00

Os influenciadores bolsonaristas que foram alvo de busca e apreensão da Polícia Federal na quarta, 27, somam em seus perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter e Instagram 19 milhões de fãs e seguidores. O número fica ainda mais expressivo se somado aos mais de 8 milhões de seguidores dos parlamentares intimados a depor por ordem do Supremo Tribunal Federal também na operação de quarta, realizada no âmbito do inquérito das fake news do tribunal.

Os números são da consultoria Bites, que fez o levantamento para demonstrar que a operação realizada na quarta, 27, com determinação do STF, atacou o núcleo duro uma rede interconectada de sites e perfis nas redes sociais que tem sido capaz de produzir conteúdo em escala exponencial e com aumento constante de audiência. 

"A ação do STF pode ter criado uma perturbação no ecossistema de informação do bolsonarismo, mas ele continua em operação e se preparando para os próximos passos", diz o diretor da Bites, Manoel Fernandes. "A militância do presidente tem uma vantagem em relação aos movimentos da oposição. Eles estão em treinamento contínuo há pelo menos cinco anos e encontraram em Bolsonaro o ponto focal para receber toda essa energia digital. Algo que ainda não ocorre com o outro lado."

A consultoria mostra que, no Twitter, as menções ao STF atingiram na quarta o maior patamor dos últimos 12 meses. Por volta de 20h30, já tinham sido publicados 1,2 milhão de posts sobre a Corte. Considerando os últimos 12 meses, o Supremo apareceu em 29,2 milhões de posts no Twitter. De acordo com a Bites, a  Suprema Corte dos Estados Unidos e suas instâncias estaduais, por exemplo, foram citadas em 332 mil posts.

Só na quarta, quase 2,4 mil publicações sobre o STF foram feitas em sites da mídia profissional, alternativa e bolsonarista. "O que chama atenção é a capacidade das páginas de apoio ao presidente de conseguirem interações no Facebook e no Twitter (curtidas, compartilhamentos, comentários e retuítes) no mesmo patamar dos veículos profissionais. Entre os 30 artigos de maior propagação, 11 são de sites de apoio ao presidente da República", diz Manoel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.