Bolsa Família alcança 24,1% dos brasileiros

O Bolsa Família alcança 45,8 milhões de pessoas, ou quase 24,1% dos cerca de 189 milhões de brasileiros. Esse é o resultado de um estudo divulgado hoje pelo Ministério do Desenvolvimento Social e do Combate à Fome. A pesquisa, intitulada "Perfil das Famílias Beneficiárias do Programa Bolsa Família", demonstra as características sócio-econômicas da população de baixa renda do País.O levantamento mostra que de cada cem famílias beneficiárias do Bolsa Família, 36 têm acesso à rede pública de esgoto e 66 são atendidas pela coleta de lixo. A energia elétrica chega a 76% das residências incluídas no programa. A comparação das informações do Cadastro Único para Programas Sociais - base de dados usada pelo Bolsa Família - com as das famílias mais pobres do Brasil, identificadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), demonstra o acerto da transferência de renda para quem atende ao critério do programa (R$ 120,00 per capita por mês). As condições de vida das famílias são apresentadas por estado e por região. Além de mostrar que o Bolsa Família enfoca a população de baixa renda, o levantamento pode servir como base para implementação de políticas públicas destinadas a esse segmento. "O perfil demonstra que o programa está chegando às famílias mais pobres do País, mas também que precisamos integrar o Bolsa Família a outras políticas públicas", afirmou a secretária nacional de Renda de Cidadania do MDS, Rosani Cunha. Quanto à situação educacional, mais de 80% das cerca de 11 milhões de pessoas responsáveis pelo recebimento do benefício estudaram até a 8ª série do Ensino Médio, e 16,2% se declararam analfabetas. Cerca de 69% dos beneficiários vive em áreas urbanas.Embora a situação dos beneficiários demonstre precariedade no acesso aos serviços públicos, a comparação do perfil de 2005 com o de 2007 mostra que houve melhora. O abastecimento de água pela rede pública atinge atualmente 64,7% das famílias beneficiadas, ante 61,1% em 2005. O acesso médio aos serviços de escoamento sanitário passou de 33,9% para 36,4% das famílias inscritas no programa. São 45,8 milhões de pessoas atendidas com a transferência de benefícios, que hoje variam de R$ 18,00 a R$ 112,00. O objetivo do Governo Federal ao enviar mais de R$ 819,7 milhões por mês a essas famílias é erradicar a fome, a extrema pobreza e reduzir a desigualdade, indica o estudo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.