Bolsa-Escola será para todos os municípios

Ao lançar nesta segunda-feira o Programa Bolsa-Escola para todos os municípios brasileiros, o presidente Fernando Henrique Cardoso condenou o desvio de verbas de programas sociais e criticou o uso político desse programa, que foi celebrizado em gestões do PT. Segundo o presidente, o "bolsa-escola não precisa ter dono" porque é um programa de todos os brasileiros. Na semana passada, o jornal O Estado de S. Paulo divulgou o relatório da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados que aponta desvios de recursos em verbas do Fundef em 359 municípios em 19 Estados. "A corrupção em programas sociais é nojenta, inaceitável", disse o presidente, avisando que não irá tolerá-la. Fernando Henrique enfatizou que a extensão do Bolsa-Escola deverá atender aos mais pobres dentre os mais pobres. "O Brasil se cansou de ver recursos em nome dos pobres irem parar naqueles que não são os mais pobres", disse. Segundo cálculos iniciais do MEC, o programa deve atender a 10,7 milhões de crianças. FHC afirmou que caberá à comunidade e aos prefeitos e governadores a responsabilidade de qualificar quem terá direito a receber a bolsa-escola. "Mas o Ministério da Educação irá fiscalizar para ver se, efetivamente, são os mais pobres os beneficiados".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.