Bolsonaro terá condições de comandar o País a partir de quinta, diz porta-voz

Presidente continuará com dieta líquida com chá, gelatina, água e caldo ralo; não há previsão de alta do hospital

Iander Porcella, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2019 | 10h45
Atualizado 10 de setembro de 2019 | 14h55

O presidente Jair Bolsonaro terá condições de comandar o País a partir de quinta-feira, 12, afirmou o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, nesta terça, 10. “O presidente, a partir de quinta-feira, estará novamente exercendo o cargo de chefe do Poder Executivo e estará em condições de liderar o País, mesmo daqui do hospital”, disse Rêgo Barros em entrevista coletiva de imprensa no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde o presidente se recupera de uma cirurgia realizada no domingo, 8, para correção de uma hérnia incisional. 

Rêgo Barros disse que o vice-presidente Hamilton Mourão segue exercendo o cargo como interino até, pelo menos, quinta. “A partir da quinta-feira, a junta médica e o presidente decidirão sobre isso”, afirmou. Durante a entrevista, o diretor-médico do hospital, Antônio Antonietto, disse que não há pressa para que o presidente volte com a alimentação normal. “Está completamente dentro do previsto. Por enquanto mantém a dieta líquida, que é o melhor neste momento.”

Antonietto disse ainda que Bolsonaro será submetido a medidas de prevenção de trombose venosa profunda, e que o procedimento é protocolar e comum. 

---#{"MM-ESTADAO-CONTEUDO-FOTO":[{"ID":"1033308","PROVIDER":"AGILE"}]}#---]

Também há previsão de que Bolsonaro caminhe à tarde. As caminhadas fazem parte da fisioterapia motora autorizada pelos médicos. Nesta terça, o presidente também tomou banho de chuveiro pela primeira vez desde que está internado. 

Antes das entrevistas, a equipe médica informou, por meio de boletim, que o presidente encontra-se em “contínua melhora” e permanecerá com dieta líquida à base de chá, gelatina, água e caldo ralo. Não há previsão de alta e as visitas permanecem restritas. “Após 48 horas da cirurgia, permanece afebril”, diz o boletim, que afirma que o presidente dormiu bem e acordou disposto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.