BNDES nega risco de recursos do banco serem direcionados para a Delta

Construtora foi vendida à holding J&F, controladora do frigorífico JBS, do qual o banco é acionista

Mariana Durão, da Agência Estado,

11 de maio de 2012 | 19h38

RIO - O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou nesta sexta-feira, 11, que não há fundamento nas especulações sobre recursos do banco acabarem sendo direcionados à construtora Delta em razão de sua compra pela holding J&F, controladora do frigorífico JBS, do qual o banco é acionista. "Não há fundamento, não haverá esse risco. São coisas inteiramente diferentes. Estamos absolutamente tranquilos", disse Coutinho.

O MPF pretende apurar possíveis irregularidades na venda da Delta, alvo de denúncias de fraude, corrupção e superfaturamento. Uma das motivações do MPF é o fato de o BNDES ter participação de 31,4% no capital da JBS, principal controlada da J&F.

Em nota divulgada na quinta-feira, 10,0o banco repudiou "qualquer ilação de caráter político relacionada à sua presença como acionista da JBS". Coutinho, que participa de seminário na sede do banco, no Rio, afirmou que a compra da Delta é uma operação apartada, feita pela holding.

"Zelaremos para que a empresa, que é sociedade aberta e está no mercado - e isso é também interesse de seus acionistas - se mantenha totalmente saudável e não haja relacionamento entre uma coisa e outra", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.