BNDES conclui que não houve irregularidades no caso Paulinho

Em abril, a Operação Santa Tereza da PF desbaratou um esquema de desvio de recursos da instituição

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

29 Julho 2008 | 12h29

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta terça-feira, 29, que a auditoria instituída para avaliar os procedimentos realizados pelo banco na concessão de financiamentos ao município de Praia Grande e às Lojas Marisa - no âmbito da Operação Santa Tereza, da Polícia Federal - "concluiu não haver qualquer indício de irregularidade no processamento das operações em questão".   Veja também: Após acusações, Paulinho da Força se licencia do PDT-SP  Entenda a operação Santa Tereza  Leia a íntegra do relatório da PF  Grampo da PF liga Paulinho ao caso BNDES   Em abril, a Operação Santa Tereza desbaratou um esquema de desvio de recursos do BNDES, que envolveu o nome do deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força. O processo contra ele tramita agora no Supremo Tribunal Federal (STF). No comunicado, o banco informou que o trabalho consistiu na revisão de todos os documentos relativos às operações contratadas nos últimos cinco anos com os beneficiários mencionados. Ainda de acordo com o BNDES, foi feita também uma "avaliação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema BNDES em todas as etapas do processo de concessão de crédito e não se verificou qualquer irregularidade ou infração às normas do Banco".   O BNDES detalhou, em seu comunicado, os trâmites necessários para um pedido de financiamento junto ao banco. Em seu informe, o banco ressaltou que todos os projetos do banco em toda e qualquer área ou setor, passam por todos os procedimentos necessários, e que esse processo "envolve usualmente mais de 30 funcionários e diferentes órgãos colegiados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.