''''Bloquinho'''' seguirá junto nas eleições, afirma Ciro

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) disse ontem em Porto Alegre que o Bloco de Esquerda, o "bloquinho", espera reproduzir nos municípios, para a eleição de 2008, a composição feita pelos partidos que o integram na Câmara. O ex-ministro citou o PT, que não participa do grupo, entre os possíveis aliados. "Vamos tentar, apesar de serem as eleições mais fragmentárias do espectro político do País, dar coerência a esse rumo", afirmou. "E nós, do bloco, não excluímos o PT, nem remotamente." O bloco foi formado por PSB, PDT, PC do B, PMN, PHS e PRB - todos partidos que integram a base de apoio ao governo.Ciro reconheceu que a característica da eleição municipal tende a dificultar a reprodução de alianças nacionais para todas as forças políticas. São Paulo apresenta a maior dificuldade nesta composição, na ótica do deputado. O ex-ministro se disse impressionado pela excessiva fragmentação do quadro eleitoral de Porto Alegre. Ciro citou uma pesquisa de opinião em que dez possíveis candidatos apareciam com índices de 8 a 14 pontos porcentuais. "Aquela fragmentação que é inerente ao processo aqui tomou uma agudeza impressionante", afirmou.SUCESSÃO PRESIDENCIALSobre a eleição presidencial de 2010, Ciro reiterou sua avaliação de que o "outro lado" é favorito, considerando um entendimento interno no PSDB, seu reencontro com o DEM, a divisão do PMDB, as contradições do governo e a falta de "um novo Lula". Mas o ex-ministro ainda acha que há como compensar esse favoritismo: fazer com que o governo seja bem avaliado no futuro e ter "juízo" nas frações que formam a coalizão de poder, o que implicará não impor nem vetar nomes para a disputa. "Nem pode ter precipitações", acrescentou o deputado, que participou ontem de um almoço com líderes do "bloquinho" em Porto Alegre.Na terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse, durante reunião com as bancadas de deputados e senadores do PDT, ter certeza de que os partidos da coalizão governista terão um único candidato à sua sucessão presidencial. "Garanto a vocês que os partidos aliados do governo disputarão a eleição presidencial de 2010 com um único candidato", afirmou Lula.O PDT cogita justamente o nome de Ciro para a disputa. O presidente, porém, não disse quem vai apoiar. Lula tem afirmado que não é boa tática lançar uma candidatura muito cedo porque os que se antecipam viram alvo fácil da oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.