REPRODUÇÃO/YOUTUBE
REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Blogueiro que replicou texto de Jawad Rhalib comanda site elogiado por Bolsonaro

Alinhado com o bolsonarismo, Allan dos Santos é um dos sócios do Terça Livre e critica a imprensa tradicional

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2019 | 05h00

“Cadê o Terça Livre, presidente?”, perguntaram alguns apoiadores de Jair Bolsonaro quando ele divulgou, em novembro passado, “algumas opções de excelentes canais de informação no YouTube”. A lembrança dos internautas reflete o espaço ganho pelo portal conservador e por seu criador, o empresário Allan Lopes dos Santos, desde a campanha eleitoral que culminou com a vitória do candidato do PSL. Admirador e seguidor do escritor Olavo de Carvalho, guru dos bolsonaristas, Allan adota tom amistoso a respeito da nova gestão, mas é crítico contundente da imprensa tradicional.

Hoje, Allan é um dos principais blogueiros alinhados com o bolsonarismo. Com 605 mil inscritos no YouTube e outros 134 mil no Twitter, o site Terça Livre, criado em 2014, foi um dos principais mobilizadores digitais nos ataques contra a repórter Constança Rezende, do Estado. Ele replicou o texto assinado originalmente por Jawad Rhalib, de origem belo-marroquina.

Allan se intitula jornalista e é um dos três sócios do Terça Livre. O site se define como um portal de notícias que tem por valor “o amor pela Verdade e a fé de que somente Ela nos libertará”. Já entrevistou Bolsonaro e, apesar da ausência na lista de indicações, foi citado pelo menos sete vezes no Twitter do presidente.

Sua proximidade com Olavo de Carvalho também o levou a participar de jantar na casa de Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, no dia 18 de janeiro em Washington.

Ele já estava nos EUA, onde passava por um período de “treinamento” na casa do Olavo, em Richmond. Antes do jantar, Allan entrevistou Bannon para o Terça Livre. Durante a metade do jantar em que o assunto era política brasileira, a conversa se limitava a Bannon, Olavo e Gerald Brant, executivo do mercado financeiro em Nova York, responsável pela ponte com o americano. Quando passaram a discutir a filosofia e o método de Olavo, Allan assumiu um protagonismo. Ele se revezava com Pedro, um dos filhos de Olavo presente, para explicar as aulas do escritor. 

Registro. Sua empresa está registrada em Monte Belo do Sul, no Rio Grande do Sul. O endereço declarado à Receita é de uma agência dos Correios. O Estado esteve na cidade nesta sexta-feira, 15.

Allan estava em Brasília. Quando soube que o Estado o procurou na cidade, protestou no Twitter. Associou a visita a um eventual risco contra a integridade de familiares: “ABSURDO: Uma jornalista do Estadão foi até a minha casa nessa manhã. SE ACONTECER alguma coisa contra a integridade de meus filhos (dois bebês) ou de minha esposa por parte da militância esquerdista, vocês já sabem, né?!”.

Entre os pouco mais de 2,5 mil habitantes de Monte Belo do Sul, Allan é pouco conhecido e leva uma vida discreta. Entre alguns moradores, ele é reconhecido como professor de cursos online – o site informa que oferece formações pela internet como parte de seu financiamento. No grupo, porém, ninguém conhecia o Terça Livre.

No local cadastrado na Receita Federal, o atendente informa que Allan usa o endereço para receber correspondências. O comerciante de uma papelaria em frente lembrou dele como “um ex-padre que veio de fora”. Allan foi seminarista, concluiu os estudos em Filosofia, mas não chegou a ser ordenado padre. Ele se formou em Filosofia no Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil, em Itapecerica da Serra (SP).

O currículo do administrador do Terça Livre, no entanto, contém informações incompatíveis com a grade curricular disponível para graduação. Na descrição de um dos cursos oferecidos pelo site, Allan afirma que é formado em “Licenciatura em Bacharelado em Letras em Filosofia”, na Maria Mater Ecclesiae do Brasil, entre “2009 e 2010”.

A instituição confirma que Allan tem bacharelado em Filosofia. Entretanto, a licenciatura e a formação no curso de Letras são inexistentes em seu histórico escolar. O Maria Mater nunca ofereceu cursos voltado para Letras, e atualmente tenta implementar a licenciatura em Filosofia em parceria com outra instituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.