Bloco PSDB-DEM deve não recorrer de decisões do conselho

Decisão é fruto de um acordo informal com os governistas, que permitiu que Virgílio fosse absolvido

AE, Agencia Estado

20 de agosto de 2009 | 08h22

O bloco DEM-PSDB, de oposição ao governo Lula, não deverá recorrer ao plenário do Senado da decisão do Conselho de Ética que resolveu engavetar, na quarta-feira, 19, onze ações por falta de decoro parlamentar contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), e uma representação contra o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio Neto (AM).  

 

Veja Também

linkPSOL deve apresentar recurso contra Conselho de Ética

linkMercadante anuncia renúncia à liderança do PT no Senado

 

 A decisão da oposição é fruto de um acordo informal com os governistas, o qual permitiu que o tucano fosse absolvido por unanimidade no colegiado.

O acordo não vale para o PSOL. Nesta quinta-feira, 20, o senador José Nery afirmou que levará a diante no plenário uma tentativa de recurso contra a decisão do Conselho de Ética.

 

Foram 15 votos pelo arquivamento da representação contra Arthur Virgílio, acusado de pegar emprestado dinheiro do ex-diretor geral do Senado Agaciel Maia e de pagar salário durante mais de um ano um funcionário de seu gabinete que morava no exterior. O Conselho de Ética também engavetou ontem as 11 ações contra Sarney.

 

"Os assessores técnicos do Senado afirmaram que não cabe recurso da decisão tomada pelo conselho. Recurso seria mais um ato político", afirmou o líder do DEM, senador José Agripino Maia (RN). Apesar das divergências em sua bancada, os democratas votaram unidos pela a abertura de processo contra Sarney. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.