FOTO DIDA SAMPAIO|ESTADAO
FOTO DIDA SAMPAIO|ESTADAO

Blocos indicam nomes para comissão do impeachment do Senado

Líderes têm até a próxima sexta-feira, 22, para definirem titulares do colegiado, que será formado na segunda-feira, 25

Isabela Bonfim e Ricardo Brito, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2016 | 15h26

BRASÍLIA - Os blocos partidários já começaram a indicar os nomes que comporão a Comissão Especial do Impeachment no Senado. Os líderes devem fazer suas indicações atéa próxima sexta-feira, 22, já que o colegiado será formado na segunda-feira, 25.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) anunciou, na tarde desta quarta-feira, 20, os nomes do PT. Além dele mesmo, a presidente da Comissão de Assuntos Econômicos, Gleisi Hoffmann (PT-PR), e o líder do governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), serão os titulares na comissão.

O Bloco de Apoio ao Governo conta ainda com uma vaga titular, que será indicada pelo PDT. Apesar de revelar os nomes da comissão, Lindbergh garantiu que o partido não vai protocolar oficialmente as indicações e usará todo o prazo, que termina na próxima sexta-feira, 22. O objetivo é manter vagos os postos para impedir que a comissão seja instalada antes de segunda-feira, 25, data acordada entre os líderes de partido e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Democracia Progressista. O Bloco Parlamentar Democracia Progressista, composto por PP e PSD, anunciou nesta quarta-feira, 20, os nomes indicados para participarem da comissão especial que analisará a instauração do processo de impeachment no Senado. As indicações demonstram mais uma derrota para o governo, já que os senadores titulares têm perfil oposicionista.

Ana Amélia (PP)-RS), José Medeiros (PSD-MT) e Gladson Cameli (PP-AC) serão os três nomes titulares do bloco na comissão. Entre os suplentes, foram indicados Sérgio Petecão (PSD-AC), Otto Alencar (PSD-BA), Wilder Morais (PP-GO).

Tanto Ana Amélia quanto Otto Alencar tiveram os nomes cotados para assumir a relatoria do processo. Enquanto Ana Amélia trava forte oposição ao governo, Alencar tem perfil mais governista. Ficando como suplente, ele não poderá ser relator.

As indicações foram encaminhadas pelo líder do bloco, senador Omar Aziz (PSD-AM), para leitura em Plenário. Conforme a Secretaria-Geral da Mesa, o documento será lido antes da Ordem do Dia desta quarta-feira.

Maioria. Tida até pouco tempo atrás como um dos principais esteios da governabilidade da presidente Dilma Rousseff no Congresso, a bancada do PMDB do Senado apresentou nesta quarta nomes viés majoritariamente favorável à interrupção do mandato da petista.

Das cinco vagas reservadas como titulares, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira indicou quatro que já se declararam, conforme o Placar do Impeachment publicado pelo Grupo Estado, a favor do impedimento da presidente: Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS), José Maranhão (PB) e Waldemir Moka (MS).

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB), indicado por Eunício para ocupar a presidência do colegiado, consta da última atualização do Placar como a favor do impeachment. 

Oposição. A aliança partidária, formada por integrantes do PSDB, DEM e PV, terá como titulares os senadores tucanos Aloysio Nunes Ferreira (SP) e Antonio Anastasia (MG) e Cássio Cunha Lima (PB) e Ronaldo Caiado (DEM-GO). Como suplentes, os tucanos Tasso Jereissati (CE), Ricardo Ferraço (ES), Paulo Bauer (SC) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Veja quais foram os nomes indicados até agora por cada bloco partidário:

Maioria (PMDB)

Raimundo Lira

Rose de Freitas

Simone Tebet

José Maranhão

Waldemir Moka

Apoio ao Governo (ainda falta PDT)

PT

Gleisi Hoffmann (PR)

José Pimentel (

Lindbergh Farias

Socialismo e Democracia

Romário (PSB-RJ)

Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)

Moderador

Wellington Fagundes (PR-MT)

Zezé Perrella (PTB-MG)

Democracia Progressista

Ana Amélia (PP)-RS)

José Medeiros (PSD-MT)

Gladson Cameli (PP-AC)

Oposição

Aloysio Nunes Ferreira(PSDB-SP)

Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

Ronaldo Caiado (DEM-GO)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.