Blairo Maggi avalia se aceita Ministério, diz líder do PR na Câmara

Deputado Lincoln Portela participou de reunião nesta quinta-feira com ex-ministro

Christiano Samarco, de O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2011 | 18h36

O líder do PR na Câmara, deputado Lincoln Portela (MG), informou no final desta tarde que o senador Blairo Maggi (PR-MT) está examinando a possibilidade de ser ou não ministro dos Transportes. Portela relatou que se reuniu nesta quinta-feira, 7, com Maggi, o líder do PR no Senado, Magno Malta (ES), e o ex-ministro Alfredo Nascimento. "Se ele está analisando uma proposta, por certo a proposta veio do governo. De quem eu não sei", disse Portela.

Ele disse ainda que o nome de Maggi é o mais cogitado dentro do partido. Segundo ele, na reunião, que teve como objetivo também prestar solidariedade ao ex-ministro, Maggi disse que estava fazendo uma avaliação sobre a proposta. "Estou fazendo uma avaliação se posso ou não ser ministro. Tenho empresas, 5 mil funcionários, já servi ao Estado de Mato Grosso como governador e não sei se teria condições de servir ao Brasil no ministério", disse Maggi, segundo relato do líder do PR.

Portela observou que a cautela de Maggi deve-se ao fato de que existe envolvimento das empresas do senador com o governo. Ele citou especificamente operações com o BNDES e com a Marinha - o senador tem empresa de navegação e transporte fluvial para escoar a produção de soja e exportar. "Ele tem que saber se não há impeditivo para assumir o ministério". Ele também confirma que "nas hostes do governo", o nome do Maggi tem grande aceitação. "Percebo que, numa lista, ele seria o primeiro nome".

O partido, segundo ele, não tem pressa. A expectativa é de que, na próxima semana, os líderes do PR na Câmara e no Senado sejam chamados pela presidente Dilma Rousseff, juntamente com o senador Blairo Maggi, para uma conversa. Segundo Portela, independentemente de quem for o ministro, o PR continuará na base. "O PR é o partido mais fiel da base e vai continuar votando com o governo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.