Bispos do PR se manifestam contra privatização

Os bispos da Regional Sul 2-Paraná, que participaram da 39ª Assembléia Geral dos Bispos do Brasil, em Itaici (SP), posicionaram-se contra a privatização da Companhia Paranaense de Energia (Copel), prevista para outubro. "Nosso apelo é para que a Copel não seja privatizada", dizem os bispos em uma nota. Eles sugerem que o governo adote o plebiscito nessa questão. Uma das razões alegadas pelos religiosos é que "algumas privatizações realizadas anteriormente não redundaram em benefícios visíveis para a população". Segundo eles, uma decisão como a que está sendo tomada pelo governo do Estado do Paraná necessita de "maior discussão e envolvimento da sociedade, não excluindo a eventual conveniência de um plebiscito." Para os bispos, a privatização da Copel seria um "ato irreversível". "A não-privatização possibilitará que a sociedade continue discutindo os rumos a serem dados a esse patrimônio de nosso Estado", diz a nota. Segundo a CNBB, o posicionamento foi tomado depois de a entidade ter apelado ao Conselho Regional de Leigos para que fizesse uma discussão aprofundada sobre a questão, e de observar o grande número de assinaturas no projeto de iniciativa popular contra a venda. "Não nos move, nesta atitude, nenhuma motivação político-partidária", afirma a nota. "Somos impulsionados, sim, por nosso amor ao Paraná e pelo bem que queremos aos paranaenses."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.