Bispo de Duque de Caxias volta a criticar o Fome Zero

Depois das duras críticas feitas ao Programa Fome Zero ao longo do ano passado, o bispo de Duque de Caxias (RJ), d. Mauro Morelli, voltou nesta segunda-feira à carga. Desta vez, questionou a autonomia e atribuições dos Conselhos de Segurança Alimentar.Morelli afirmou estar agoniado com a proliferação destas instituições, criadas apenas para chancelar um programa de governo. "Elas deveriam ser um laboratório de embasamento de políticas públicas, que transcedem plataformas políticas. Os Conseas têm de ter autonomia, ser uma báse de diálogo para cooperação crítica. Iinfelizmente não é isso o que ocorre." O bispo iniciou uma série de encontros com ministros de governo, que somente deve terminar nesta terça. Na agenda também estão previstas reuniões com parlamentares. Entre as propostas defendidas pelo bispo está a criação de uma lei de segurança alimentar, de abrangência nacional. Com ela, completou, o tema deixaria de ser uma bandeira de governo. "Assim como a ditadura vigiava a cidadania, com lei de segurança nacional, a democracia deve vigiar a saúde, com uma lei de segurança alimentar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.