Bezerra rebate críticas do PFL

O ex-ministro Fernando Bezerra rebateu as críticas do PFL e explicou que sua exoneração do Ministério da Integração Nacional para votar no senador Jader Barbalho (PMDB-PA) foi "uma decisão pessoal". Não pode, portanto, segundo sua avaliação, ser interpretada como uma interferência do governo no processo sucessório do Senado em favor de Jader Barbalho. "Eu pedi a licença e o presidente concedeu", afirmou o senador peemedebista, ressaltando que a situação de Jáder é muito ?confortável" e que seu voto seria apenas "simbólico", sem interferir na decisão. Apesar dessa convicção, explicou que resolveu deixar temporariamente o cargo para demonstrar solidariedade ao senador Jáder Barbalho e "construir a unidade" do PMDB. Quanto às denúncias de irregularidades na Sudam, Fernando Bezerra deixou claro que "não há nenhuma acusação contra Jáder", mas que as investigações prosseguem e devem estar concluídas até o final de março. "As acusações são contra empresas e não contra Jáder", concluiu o senador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.