Bezerra anuncia transposição do S. Francisco

O governo federal vai iniciar a transposição do Rio São Francisco em agosto deste ano, segundo informou ontem o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. A obra, que vai cortar o Nordeste, tem custo de R$ 2,7 bilhões. O governo está esperando apenas a análise que está sendo feita pelo Ministério do Meio Ambiente, iniciada no dia 15 de setembro do ano passado, sobre o impacto ambiental. Bezerra anunciou que a licitação será feita até o final de junho.O ministro pretende pedir o acompanhamento de várias organizações fora do governo, para dar mais transparência ao projeto, que deverá ser a grande obra física do presidente Fernando Henrique Cardoso. Entre as organizações, o governo pretende chamar a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Bezerra espera que Sarney Filho termine a análise ambiental até o final de abril. O ministro disse que é necessária a elaboração de um relatório de impacto ambiental (Rima) para iniciar as obras.O governo já tem no orçamento R$ 200 milhões para começar as obras.Junto com a transposição do São Francisco, serão feitas obras paralelas que irão trazer mudanças para muitos municípios. O ministro disse que o governo vai propor o saneamento de mais de 400 cidades que ficam nas margens do rio. "Temos que revitalizar o rio, cuidar do rio", disse o ministro. O projeto engloba a despoluição dos rios que caem no São Francisco e o saneamento das redes de esgoto que são lançadas nestes afluentes. Será ainda lançado um projeto de navegabilidade do São Francisco. Bezerra já iniciou um trabalho de convencimento de políticos que são contra o projeto de transposição. O ministro revelou que tem conversado até com parlamentares do PT, que segundo ele não tinham uma posição claramente favorável à obra. Quanto à resistência de alguns caciques da política nacional, exemplo do presidente do Congresso, o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), o ministro, sem falar o nome de Magalhães, disse que é necessário não apenas fazer críticas. Se alguém tem "soluções melhores", disse o ministro, prestará "um grande serviço ao País" se apresentá-las. A transposição vai beneficiar diretamente 168 cidades nordestinas. Bezerra calcula que a obra trará melhoria de vida para 8 milhões de pessoas, que sofrem com os efeitos das secas. O governo espera impacto mínimo no volume de água do São Francisco. "Vamos tirar apenas 2% da água que vai para o mar", disse o ministro. Os estudos do governo mostram que, sem uma obra que leve mais água para o Nordeste no máximo até 2004, as populações podem começar a migrar em massa para outras regiões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.