Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Beto Mansur defende renúncia de Cunha da presidência da Câmara

Cotado para assumir o cargo, o deputado (PRB-SP) disse que a Casa não pode ficar parada por tanto tempo e precisa de um 'nome de consenso'

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2016 | 15h08

BRASÍLIA - Após participar de cerimônia no Palácio do Planalto, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, defendeu a renúncia do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Não é possível que a Câmara continue sangrando deste jeito. Vai fazer 60 dias que a Câmara está acéfala. Por isso, eu defendo que Eduardo Cunha renuncie ao mandato de presidente da Câmara para que, em cinco sessões, nós tenhamos um novo presidente”, declarou Mansur, em entrevista, acrescentando que o seu sentimento é de que o peemedebista “deve renunciar na semana que vem”. Lembrado de que Cunha já respondeu que “ninguém fala por ele”, o deputado , que é um dos nomes cotados para o cargo, insistiu que “não está discutindo nomes”. E avisou: “chegamos a um limite e a Câmara não pode continuar como está”.

Segundo Mansur, a Câmara precisa “de um nome de consenso” e “não importa discutir se será A, B ou C”. E emendou: “só defendo que Eduardo Cunha renuncie nesses 60 dias que vão completar na semana que vem e que ele se defenda fora do cargo”. Na opinião do deputado, “seria uma grande oportunidade” se Cunha renunciasse na próxima semana. Ele disse que, embora não tenha conversado com Cunha recentemente, “há um sentimento dele, e na Casa, entre uma série de lideranças de que ele vai renunciar na semana que vem”. Comentou também que os deputados que são parlamentares há muito tempo estão “muito irritados” com todo este processo de sangramento da Câmara. “Eu defendo que ele continue com o mandato dele, que se defenda, porque é um direito dele, só que nós não podemos aguentar mais tempo com ele afastado da presidência e a Casa nesta situação. Ele não pode continuar atrapalhando o andar da Câmara dos deputados”.

Beto Mansur disse que não falava por outras pessoas ao dizer que ele “deve renunciar na semana que vem”. “Não estou falando por ninguém. Estou falando por mim, que estou há cinco mandatos na Casa e sou primeiro secretário da Casa. Nos estamos precisando votar uma série de matérias importantíssimas para o Brasil e as coisas não andam porque você não tem um presidente que toque os trabalhos como tem de ser tocado”, observou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.