Beto Albuquerque evita falar sobre apoio no 2º turno

O vice na chapa de Marina Silva (PSB), Beto Albuquerque, evitou falar sobre a agenda que terá na noite desta quarta-feira, 17, ao lado do governador e candidato à reeleição Geraldo Alckmin (PSDB). Na série ''Entrevistas Estadão'', Beto disse ter "respeito" pelo governador de São Paulo, mas se eximiu da organização do evento de hoje, dizendo que a agenda foi organizada pelo correligionário Márcio França, vice na chapa de Alckmin e tesoureiro da campanha nacional do PSB,

ANA FERNANDES, Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2014 | 14h22

Albuquerque disse ainda ser cedo para discutir possíveis apoios num segundo turno. E repetiu a mensagem já colocada diversas vezes de "governar com os melhores" em eventual governo. "Os melhores que queremos são os que estão no banco de reservas", afirmou.

Adoção e casamento gay

Questionado sobre o tema de adoção por casais gays e casamento homossexual, Albuquerque respondeu dizendo que são assuntos "pacificados" nos tribunais brasileiros. "Se há criança abandonada, qual o problema?", questionou. Disse também que esses temas estão "pactuados" na chapa, sem oposição de Marina às posições.

"A orientação sexual de uma pessoa não pode torná-la mais ou menos importante", afirmou. "No programa de governo está reforçado o direito dessas pessoas", completou.

Beto falou também ser favorável a uma precisão maior na legislação para punir discriminação por orientação sexual. "O instrumento legal pode ser melhorado", afirmou sem, contudo, detalhar como isso poderia ser feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.