Berzoini volta a negar que mandou comprar o dossiê Vedoin

O presidente licenciado do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Berzoini, voltou a negar neste domingo que tenha ordenado a compra do chamado dossiê Vedoin com supostas denúncias contra políticos do PSDB, principalmente o então candidato ao governo de São Paulo e agora governador eleito, José Serra.Berzoini contestou as informações nesse sentido, publicadas na edição deste domingo da Folha de S. Paulo, argumentando que a reportagem não cita fontes, não traz informações entre aspas e cabe ao jornal comprová-las. Segundo Berzoini, são as investigações da Policia Federal que devem determinar se as informações são verdadeiras ou não. "Estou tranqüilo em relação a este episódio e tenho declarado desde o começo minha total isenção em relação a isso", sustentou.O dirigente petista fez essas declarações ao deixar o Hotel Pestana, em São Paulo, onde o Diretório Nacional do PT realiza sua primeira reunião após a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em outubro. Ao participar no sábado da abertura do encontro, Lula lamentou os erros cometidos pelo partido, envolvido numa seqüência de denúncias sobre corrupção, e fez um apelo aos militantes para que "O PT volte a ser exemplo neste País".Berzoini, que se afastou da presidência do partido e da coordenação do comitê de reeleição de Lula depois que veio à tona o episódio do dossiê Vedoin, reiterou neste domingo que se sente à vontade para voltar ao comando do PT, mas a condição para que isso aconteça é o encerramento das investigações. "Só retornarei quando superar essa condição", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.