Berzoini volta a defender reforma sindical

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, voltou a defender, hoje, a necessidade de se implantar a reforma sindical no Brasil. De acordo com o ministro, a aprovação dessa reforma, que já está em discussão, servirá para colocar em prática alguns pontos que considera essenciais, tais como o fim do Imposto Sindical Compulsório e a unicidade sindical por base. O ministro participa, na manhã de hoje, de um debate sobre a reforma sindical no Palácio do Trabalhador, na capital.O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que também participa dos debates de hoje, acredita que a proposta de reforma sindical será aprovada pelo Congresso Nacional. De acordo com outro participante do evento, o secretário de Organização da CUT, Artur Santos, a reforma em discussão é muito importante e precisa realmente ser aprovada. Pelos dados de Artur Santos, são criados, no Brasil, dois novos sindicatos por dia. "Isso, com o objetivo de se cobrar taxas dos trabalhadores, mas sem nenhuma representatividade para as categorias", criticou. Participam também do debate especialistas na área e representantes da Fiesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.