Berzoini: lutas que o PT tem pela frente são 'maiores'

Ao comentar o anúncio do senador Aloizio Mercadante (SP) de que permanecerá na liderança do PT, o presidente do partido, Ricardo Berzoini (SP), disse que não se deve tratar este episódio como "definidor" dentro do partido. "Mercadante anunciou que fica na liderança do PT no Senado. Correto. A conversa com Lula e comigo ontem foi franca e objetiva. As lutas que teremos pela frente são muito maiores que esse episódio", diz Berzoini, em mensagem publicada em seu Twitter (rede de microblogs na internet) e confirmada pela sua assessoria de imprensa.

CAROL PIRES, Agencia Estado

21 de agosto de 2009 | 13h55

Em outra mensagem, Berzoini diz que "as divergências devem ser debatidas democraticamente no partido". "Afinal, nós, que há 30 anos construímos o PT, não devemos tratar cada episódio como se fosse o definidor das nossas vidas. Governar é administrar contradições e conflitos. Se você tem um horizonte definido, os obstáculos são superados com firmeza e serenidade." Mercadante havia anunciado ontem que deixaria a liderança do PT em caráter irrevogável. Hoje, porém, ele voltou atrás e disse que ficará no cargo a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A situação do senador no comando da bancada petista ficou delicada quando contrariou a orientação de Berzoini e defendeu a abertura de processo disciplinar contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no Conselho de Ética. Os senadores petistas votaram pelo arquivamento, como foi orientado pela direção nacional da legenda, e alguns deles, como o senador Delcídio Amaral (MS), criticaram a postura do líder, dizendo que ele havia "desamparado" a bancada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.