Berzoini e Tatto devem decidir quem comandará o PT

Se a tendência das apurações for confirmada, a eleição interna do PT realizada no domingo não trará grandes surpresas. Apenas um dia após a ida às urnas, o atual presidente nacional da legenda, deputado Ricardo Berzoini (SP), já garantiu sua vaga em um segundo turno da votação, marcado para acontecer no próximo dia 16. Os dados registrados até as 22 horas de ontem pelo grupo encarregado de conduzir a apuração no PT davam ao parlamentar 43,8% do total de votos contabilizados. Representante do antigo Campo Majoritário e inscrito pela chapa Construindo um Novo Brasil, Berzoini tinha 86.036 votos, de um total de 196.128 votos válidos. Se confirmadas as previsões do PT, cerca de 300 mil militantes participaram da eleição.Com maior chance de ir ao segundo turno, o também deputado Jilmar Tatto (SP), candidato da chapa Partido é para Lutar, tinha 45.038 votos, o que representa 22,96% do total apurado até ontem. Também sem surpresas, a terceira colocação no ranking parcial era do deputado José Eduardo Martins Cardozo (SP), candidato do grupo que assina a tese Mensagem ao Partido, endossada por nomes como o ministro da Justiça, Tarso Genro, e o governador da Bahia, Jaques Wagner. Ontem, Martins Cardozo havia alcançado a marca de 17,22% do total apurado, com 33.790 votos. Em seguida, aparecem o candidato da chapa A Esperança é Vermelha, Valter Pomar, com 11,09% (21.764); Gilney Viana, do grupo Militância Socialista, com 3,19% (6.262); Markus Sokol, da chapa Terra, Trabalho e Soberania, com 1,02% (2.017); e José Carlos Miranda, representante do grupo Um Programa Socialista para o PT, com 0,62% (1.221). Foram registrados até ontem 10.463 votos em branco e 3.611 nulos.Membro da comissão encarregada do Processo de Eleições Diretas (PED) do PT, o secretário de Organização da legenda, Romênio Pereira, confirmou que Berzoini e Tatto devem continuar a briga pelo comando partidário. ?Há uma tendência, com os dados que temos até agora, de ter segundo turno. Mas, naturalmente, dependendo de Estados em que um candidato é ou não mais forte?, afirmou Pereira, que aproveitou para defender a tese de que o PT comprovou na votação de domingo que mantém sua capacidade de mobilizar a base, apesar da crise gerada com o escândalo do mensalão. Pereira informou ainda que o PT poderá divulgar hoje à noite um resultado preliminar do primeiro turno da eleição interna, restando apenas contabilizar votos remanescentes e conferir as atas elaboradas pelos diretórios regionais. Além de escolher um nome para a presidência, os militantes petistas também escolhem na eleição interna as chapas que irão compor o Diretório Nacional, instâncias regionais e comissões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE, Agencia Estado

04 de dezembro de 2007 | 09h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.