Berzoini e Marta são vaiados na abertura do Congresso da CUT

O ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, foi intensamente vaiado no Pavilhão de Exposições do Anhembi, durante a abertura do 8º Congresso da Central Única dos Trabalhadores. A manifestação partiu de um grupo de militantes do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e representantes dos funcionários públicos federais, que protestam contra a proposta de reforma da Previdência encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional. ?Berzoini, preste atenção - esta reforma é privatização?, gritavam os manifestantes, que também portavam faixas e cartazes contra a proposta do governo. ?Um, dois, três, quatro, cinco mil - ou párem essa reforma ou paramos o Brasil?, ameaçavam. O ministro Berzoini, que representa o presidente Luiz Inacio Lula da Silva no evento, informou ao chegar, por meio de sua assessoria, que não faria declarações à imprensa.A prefeita de São Paulo e vice-presidente nacional do PT, Marta Suplicy, também foi fortemente vaiada ao discursar na abertura do evento. Os manifestantes gritaram "Martaxa", entre outros jargões usados contra a prefeita. Marta culpou o governo anterior pelas dificuldades atuais que o País enfrenta e denunciou "a política neoliberal que arrasou o País". O evento também conta com a presença de autoridades e personalidades como o presidente do TST, Francisco Fausto, o secretário estadual das Relações do Trabalho, Francisco Prado de Oliveira, o presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoino, o presidente do PSTU, José Maria de Almeida, o deputado federal Vicente Paulo da Silva (PT-SP) e o presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli, ambos ex-presidentes da CUT. Amanhã às 10 horas, o presidente Luiz Inacio Lula da Silva participa da sessão plenária do congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.