Berzoini acredita que reforma será pouco alterada no Congresso

O ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, disse neste sábado estar certo de que a proposta de reforma da Previdência enviada pelo Executivo ao Congresso, será aprovada com sua concepção preservada, ou seja, com poucas mudanças. Berzoini foi menos enfático que o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que ontem afirmou ser inegociável alguns pontos da proposta, em especial a tributação dosinativos. "O governo Lula mantém sua postura de diálogo, e não vamos serarrogantes para tentar limitar o poder do Congresso, que é soberano para mudar propostas. Mas, em respeito a este mesmo Legislativo, discutimos a remessa da proposta antecipadamente com vários setores da sociedade", disse.O ministro da Previdência ainda ressaltou que é ciente dos conflitos em torno da proposta, mas que o governo não tem a pretensão de convencer 100% do PT a concordar com ela. "Esta é a proposta do presidente Lula e 27 governadores de Estado, construída com cuidado, critério e muito carinho", afirmou. Para ele, o projeto contém todas as mudanças que a reforma necessita para resultar em um modelo justo, que deixará de beneficiar poucos em detrimento de muitos."Hoje, infelizmente, a Previdência é um fator de concentração de renda. Trata uma minoria da população muito favorecida, enquanto a maioria dos brasileiros está em uma situação precária, disse Berzoini, que participa neste momento do encerramento do seminário sobre reforma da Previdência, iniciado ontem no hotel Braston, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.