Bernardo: Turismo e Cultura sustam repasses suspeitos

Os ministérios do Turismo e da Cultura já suspenderam os repasses às entidades fantasmas que, segundo série de reportagens do jornal O Estado de S. Paulo, recebiam os recursos por meio de emendas do senador Gim Argello (PTB-DF), ex-relator do Orçamento de 2011. A informação foi dada pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele disse também que a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2011 já proíbe o repasse de verbas do Orçamento para entidades privadas realizarem eventos. "Avaliávamos que isso estava frágil, não estava bom", disse.

LU AIKO OTTA, Agência Estado

07 de dezembro de 2010 | 19h56

Segundo Bernardo, é obrigação do governo investigar o uso dos recursos, assim como do Tribunal de Contas da União (TCU). "Mas o Congresso não pode se eximir", afirmou. Ele observou que existe um processo de avaliação de admissibilidade de emendas e disse acreditar que os parlamentares vão evitar a repetição dos problemas. Ele avaliou que a troca de relator não provocará atrasos na tramitação do projeto de lei do Orçamento de 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.