Bernardo nega farra de emendas e ataca oposição

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, atacou a oposição, que acusa o governo de promover uma farra de liberação de verbas para emendas de parlamentares, com o objetivo de ganhar votos para a prorrogação da CPMF. "A oposição olha para o processo, saudosa de quando era governo e certamente devia fazer essas coisas", ironizou. "Acham que todo mundo faz assim."No fim da semana passada, foram liberadas verbas para emendas de parlamentares. O deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL), por exemplo, recebeu R$ 2 milhões para projetos em sua base eleitoral. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), obteve R$ 1,8 milhão para suas emendas.FOFOCABernardo negou que a liberação tenha ocorrido por causa da votação. Ele disse que desde maio havia disponibilizado recursos para emendas, mas o dinheiro não foi usado porque não foram apresentados projetos para receber os recursos. Questionado sobre o clima de insatisfação na base aliada, que se julga prejudicada no preenchimento de cargos no governo, o ministro disse: "Não estou sabendo de nada disso, pensei que fosse fofoca das colunas políticas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.