Bernardo diz que sem CPMF, Brasil pode entrar em crise

Em resposta ao senador José Agripino Maia (DEM-RN), o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje que o Brasil não quebraria sem a prorrogação da CPMF, mas poderia entrar numa crise e desfazer todos os avanços obtidos nos últimos anos. O ministro, que participa de audiência pública sobre a emenda de prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, disse que o Brasil precisa de previsibilidade e ressaltou que há dois meses se discute o futuro de 8% das receitas do governo, numa referência à arrecadação da CPMF. "Tem coisa com maior imprevisibilidade do que essa?", questionou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.