Bernardo diz que governo não quer amordaçar o Ipea

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou que não há intenção do governo de "amordaçar" o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Segundo ele, o instituto sempre teve autonomia e o ministro Extraordinário para Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, e o presidente do Ipea, Márcio Pochmann, não querem fazer cerceamento técnico do Ipea."No Planejamento, nós sempre tivemos debates polêmicos. Tenho certeza que o Mangabeira vai preservar esta pluralidade", disse. "O Ipea vaio continuar com o trabalho plural e polêmico", completou. Ele ressaltou que não existe intenção de impor um pensamento único. Paulo Bernardo afirmou que o economista Fábio Giambiagi vai voltar para o BNDES e não deixará de participar do debate econômico.Na semana passada, Giambiagi e mais um grupo de três economistas da linha econômica ortodoxa foram afastados do Ipea, criando polêmica se estaria havendo um expurgo ideológico no instituto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.