Bernardo diz que fará campanha para Dilma durante folga

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, disse hoje que permanecerá no governo até o final do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas que aproveitará as horas de folga para auxiliar na campanha da atual ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na campanha à presidência da República. "Vou trabalhar normalmente e, nas horas vagas, à noite, vou distribuir o santinho dela", disse Bernardo, ao chegar para uma reunião com a ministra.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

18 de março de 2010 | 10h00

Pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem mostrou que a vantagem do tucano José Serra sobre a petista Dilma na corrida presidencial caiu para cinco pontos porcentuais. Em fevereiro, de acordo com o mesmo instituto, a distância entre os dois era de 11 pontos. Serra teve 35% das intenções de voto. Dilma, por sua vez, cresceu cinco pontos e atingiu pela primeira vez a marca dos 30%, em um cenário que inclui ainda Ciro Gomes (11%), do PSB, e Marina Silva (6%), do PV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.