Bernardo defende ampliação do Bolsa Família

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, disse hoje que uma decisão que torne inviável a ampliação do benefício do Bolsa Família prejudicará 11 milhões de famílias. Para Bernardo, o programa, que é considerado por analistas um dos principais cabos eleitorais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não tem influência na eleição, é importante para promover a diminuição da desigualdade social e foi uma das causas da ampliação da classe média no Brasil.Bernardo também disse que o governo resolveu editar no fim de 2007 uma medida provisória (MP) ampliando o alcance do Bolsa Família para famílias com filhos de até 17 anos porque o Congresso não aprovou o projeto, que havia sido enviado pela administração federal, e, em 2008, este reajuste não poderia ser feito por causa da legislação eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.