Bernardo: atraso na votação do Orçamento dificulta obras

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, admitiu que o atraso da votação do Orçamento de 2008 já gera dificuldades na execução de obras de infra-estrutura do governo federal. "Já estamos enfrentando dificuldade em projetos que estão apresentando ritmo bom de execução, mas cujos recursos estão se esgotando", afirmou o ministro, ao comentar que desde o início do ano esses projetos, incluindo alguns dos previstos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), estão sendo tocados com restos a pagar de orçamentos anteriores. A votação da proposta de Orçamento da União para 2008 foi adiada de hoje para a próxima quarta-feira.Bernardo explicou que a dificuldade enfrentada por essas obras é que não há possibilidade prevista em lei de liberação de recursos quando o Orçamento não é aprovado. "De fato, eu tenho um problema porque tenho de operacionalizar esse Orçamento."O ministro participou de uma parte da reunião de quase quatro horas da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, com a bancada do PT, no Ministério do Planejamento. Nesse encontro, Bernardo e Dilma demonstraram preocupação com o atraso na votação do Orçamento e os deputados foram alertados que caso a LDO não seja aprovada nos próximos dias, é possível que o governo federal tenha de editar uma série de medidas provisórias (MP) para que essas obras não sejam interrompidas. Algumas dessas MPs já estariam prontas. Bernardo não quis antecipar uma data para o início de publicação das MPs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.