Beraldo rebate crítica de Carvalho no caso Pinheirinho

O secretário da Casa Civil de São Paulo, Sidney Beraldo, rebateu hoje as críticas do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, à operação do Estado no Pinheirinho, em São José dos Campos. Beraldo disse lamentar que o governo federal tenha "transformado uma questão delicada em uma questão político-eleitoral".

LUCAS DE ABREU MAIA, Agência Estado

28 de janeiro de 2012 | 16h20

"O ministro perdeu uma boa chance para ficar calado", afirmou o principal secretário do governo Alckmin, depois de participar da convenção estadual do PRB na Assembleia Legislativa. Segundo Beraldo, Carvalho integra o governo federal desde 2003 e não tomou nenhuma medida para resolver a questão da ocupação.

A polêmica em torno da ação chegou a seu ápice ontem, depois de vir a público declarações da presidente Dilma Rousseff, que em encontro fechado com representantes de movimentos sociais classificou a postura da Polícia Militar no Pinheirinho como "barbárie". Questionado sobre a afirmação da presidente, o governador Geraldo Alckmin disse que não comentaria, mas endossou a posição de Beraldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.