Bens de Roriz ficam bloqueados por 5 horas

Os bens do governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, ficaram bloqueados, hoje, durante cerca de cinco horas, juntamente com os bens de outras 12 pessoas, físicas e jurídicas. Todos são acusados de envolvimento em esquema de grilagem de terras em Brasília. O juiz federal substituto da 3.ª Vara da Justiça Federal de Brasília, Osmane Antônio dos Santos, concedeu liminar bloqueando os bens dos acusados no início da tarde. No início da noite, os procuradores da República que impetraram a ação na Justiça informaram que o juiz "suspendeu" os efeitos da liminar.Segundo os procuradores que apresentaram a ação contra Roriz, a Justiça Federal suspendeu os efeitos da liminar por ter recebido no final da tarde recursos dos envolvidos, solicitando melhor apreciação do processo. Na Justiça Federal, no entanto, os funcionários informaram no início da noite que a nova decisão do juiz não estava disponível para divulgação. O Palácio do Buriti informou, no final da tarde, que Roriz não comentou o assunto.Além de Roriz, a liminar concedida no início da tarde bloqueava os bens do secretário adjunto de Assuntos Fundiários do DF, Cleomar Rizzo Esselin; do ex-presidente da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), Humberto Ludovico de Almeida Filho; e do empresário Carlos Victor Moreira Benatti. Na lista estão ainda Cláudio Oscar Sant, Alexandre Gonçalves, José Gomes Pinheiro Neto, Adelino de Souza Marinho, Maria Cassiano da Silva, Vinício Jadiscke Tasso, Vera Lúcia de Paiva Guedes, Rivaldo Gomes Leite e o Condomínio R.K.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.