Beneficiários do Bolsa-Família terão plano de qualificação

Cursos profissionalizantes serão gratuitos para membros de famílias atendidas pelo programa acima de 18 anos

Agência Brasil,

27 de janeiro de 2009 | 17h19

Estratégias para incentivar os beneficiários do Bolsa-Família a participar do Plano Setorial de Qualificação e Inserção Profissional (Planseq) começaram a ser definidas nesta terça-feira, 27, em duas capitais: Manaus e Recife. Promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Planseq oferecerá diversos cursos, como de pintor, carpinteiro, encanador, mestre de obras, auxiliar de escritório, eletricista, pedreiro e operador de trator.   Segundo o coordenador-geral de Benefícios do Bolsa-Família no MDS, Anderson Brandão, ao longo do ano serão oferecidas novas oportunidades profissionais aos beneficiários do programa em todo o País.   Ele disse que, no caso do Amazonas, a oferta inicial de vagas deverá ser ampliada e disponibilizada também para os municípios do interior do Estado. "A partir de convênios com as prefeituras, pretendemos, assim que for possível, dobrar o número de ofertas e oferecer cursos em outras áreas, como no segmento de turismo", informou.   Os cursos serão gratuitos para os membros de famílias atendidas pelo Bolsa-Família, com idade acima de 18 anos e que tenham pelo menos a 4ª série do ensino fundamental. O objetivo é capacitar mão-de-obra e inseri-la no mercado de trabalho.   A adesão ao plano já pode ser feita nesta terça. Para isso, o beneficiário do Bolsa Família deve se dirigir a um posto do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em sua cidade, fazer a inscrição no Planseq e concorrer a uma das vagas atualmente disponibilizadas. Inicialmente, para Manaus, estarão disponíveis 1,3 mil vagas. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) será o responsável pelo cursos.   "As famílias precisarão fazer um esforço adicional ao que já fazem buscando a melhoria das condições de renda. Ao obter a vaga no curso, cada um terá que separar um horário do dia para assistir às aulas", afirmou Beraldo. Ele destacou que, além de o curso ser gratuito, os alunos receberão também lanches e passagens de ônibus.   O pedreiro e carpinteiro Raimundo Pereira elogiou a iniciativa que, segundo ele, dará a quem fizer o curso oportunidade de novas ofertas de trabalho e melhores salários. "Esse plano vai ajudar muito. Ao me qualificar, serei melhor aceito no campo da construção civil, que já é a minha área. Na hora em que eu chegar em qualquer firma, poderei comprovar que sou um profissional qualificado. Com isso, também poderemos ter melhores salários."   De acordo com levantamento da Coordenação Municipal de Proteção Social Básica, existem em Manaus 83 mil famílias recebendo atualmente o beneficio pago pelo Bolsa Família. Pelo menos 5,4 mil beneficiários teriam perfil para participar do Planseq.   "A informação que temos do Sindicato da Construção Civil em nosso estado é que esse segmento passa por um período de forte aquecimento e, com isso, apresenta inúmeras vagas de trabalho. Queremos aproveitar esse efetivo de beneficiários do Bolsa Família e transformá-los em mão-de-obra capacitada para abraçar essas ofertas de emprego", disse a coordenadora-geral da Proteção Social Básica de Manaus, Socorro Sab.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.