Belo, Mânica e Ivo Noal passam fim de ano na prisão

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, o fazendeiro e irmão do prefeito de Unaí Norberto Mânica e o empresário Ivo Noal fracassaram na tentativa de convencer a presidente interina do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, a libertá-los da prisão.Responsável por despachar os pedidos urgentes protocolados durante os feriados de final de ano e parte do mês de janeiro, a ministra não se sensibilizou com os argumentos dos advogados dos três e hoje, véspera de natal, rejeitou os pedidos de habeas-corpus que foram apresentados.Preso por determinação do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio de Janeiro, o cantor Belo foi condenado a oito anos de prisão em regime fechado pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Para negar o pedido dos advogados do artista, a ministra alegou razões técnicas.Também com base em argumento técnico, Ellen rejeitou o pedido de Mânica. Junto com o irmão, o fazendeiro foi denunciado pelo Ministério Público Federal por suposto envolvimento no assassinato de três agentes fiscais e um motorista do Ministério do Trabalho, ocorrido em janeiro.Quanto a Ivo Noal, na quinta-feira, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Edson Vidigal, já tinha negado alvará de soltura para o empresário que foi preso por sonegação fiscal. Noal foi condenado a cinco anos de reclusão em regime semi-aberto, mais multa. Recentemente, o STJ atendeu parcialmente a um pedido do empresário para que o tempo da pena seja revisto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.