Beira-Mar vai depor sobre fuga em BH

O traficante Luiz Fernando da Costa o "Fernandinho Beira-Mar", preso há cerca de duas semanas na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, será ouvido na quinta-feira por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico, da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Os deputados querem saber como Beira-Mar conseguiu fugir, no dia 26 de março de 1997, de uma cela do departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), em Belo Horizonte (MG).A CPI mineira tem indícios de que Beira-Mar teria pago R$ 500 mil a policiais do Deoesp para fugir. O advogado do traficante, Adalberto Lustosa de Matos, nega que ele tenha subornado os policiais. Segundo o advogado, Beira-Mar lhe confidenciou que ao chegar ao Deoesp, em Belo Horizonte, já havia um plano de fuga em andamento. "Ele (Beira-Mar) não pagou nada para sair da prisão", assegura Lustosa.A versão do advogado não convenceu os integrantes da CPI do Narcotráfico mineira. Para o presidente da comissão, deputado Marcelo Gonçalves (PDT), houve "muita coincidência" no fato de o traficante ter fugido do Deoesp pela porta da frente. A CPI descobriu um depósito de R$ 15 mil na conta de um policial depois que Beira-Mar fugiu da cadeia. Em depoimento à comissão, o policial alegou que o traficante havia lhe emprestado o dinheiro.Gonçalves disse que a fuga de Beira-Mar não é o único caso suspeito de pagamento de propina para liberação de presos. O deputado afirmou que o traficante Paulo Geovane Sheifer fugiu de uma carceragem de Contagem, de Belo Horizonte, após pagar R$ 80 mil a policiais. Sheifer é considerado o maior nome do tráfico de drogas na conexão Minas Gerais/Rondônia. O traficante foi recapturado no ano passado, em Slavador (BA).CurativosOntem, Beira-Mar foi levado da Superintendência da PF ao Hospital das Forças Armadas onde passou por exames radiológicos e fez curativos. De acordo com a equipe médica da PF, o quadro de saúde de Beira-Mar é satisfatório e ele já está em condições de prestar depoimento.A Comissão Mista do Roubo de Cargas, do Congresso, aguarda o traficante se recuperar para convocá-lo a depor sobre as conexões entre o narcotráfico e o roubo de cargas no País. Beira-Mar foi convocado a depor no Congresso pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA). A data do depoimento está dependendo da total recuperação do traficante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.