Beira-Mar vai depor na CPI do Roubo de Cargas

A CPI do Roubo de Cargas, do Congresso, marcou para o próximo dia 22 o depoimento do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernadinho Beira-Mar, preso há quinze dias na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, após ser capturado pelo Exército colombiano. Beira-Mar foi convocado a depor na comissão por deputados que integram a CPI do Narcotráfico, da Câmara. Os deputados querem saber do traficante como funciona a conexão do narcotráfico com o roubo de cargas no País.O advogado de Beira-Mar, Adalberto Lustrosa de Matos, afirmou que seu cliente vai atender a convocação da CPI do Roubo de Cargas, "mas usará o seu direito constitucional de ficar calado". De acordo com o advogado, o traficante não tem a intenção de delatar pessoas perante a comissão. Amanhã, um grupo de deputados da CPI do Narcotráfico da Assembléia Legislativa de Minas Gerais estará em Brasília para ouvir o depoimento de Fernandinho Beira-Mar. Os deputados querem saber do traficante como ele conseguiu fugir da cadeia do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), de Belo Horizonte (MG). A fuga ocorreu em março de 1997. A CPI tem indícios de que Beira-Mar teria pago R$ 500 mil para fugir do presídio, de onde saiu pela porta da frente. Nas investigações, os deputados da CPI do Narcotráfico mineira descobriram que, após a fuga de Beira-Mar, foi efetuado um depósito de R$ 15 mil na conta de um policial que estava de plantão no Deoesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.