Beira-Mar pode ir para prisão da Marinha

O Ministério da Justiça requisitou das polícias e do Poder Judiciário do Rio de Janeiro e de Minas Gerais todos os processos e inquéritos envolvendo o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.Caso haja algum em que ele esteja arrolado com crimes da alçada federal, como o tráfico internacional de drogas ou de armas, o governo federal deverá pedir sua transferência do quartel do Batalhão de Choque da Polícia Militar para a Ilha das Cobras, uma penitenciária localizada também no Rio, mas de administração da Marinha.Análise?Nossos técnicos da área jurídica estão analisando o caso e esperando a chegada dos processos para que isso seja feito. O que não queremos é fazer a transferência e depois seus advogados conseguirem um habeas corpus?, afirmou o ministro da Justiça, Paulo Tarso Teixeira.Segundo ele, a solução para o problema deverá ser dada na próxima semana. O ministro ressaltou que nenhum Estado quis receber o traficante. ?Os governos do Acre e de São Paulo, por exemplo, já responderam que não pretendem tê-lo em seus Estados.?RegaliasPaulo de Tarso criticou também as mordomias que Beira-Mar está tendo em Bangu I. ?Isso é problema de gestão. Uma situação de descontrole da administração do local?, afirmou o ministro. ?Nunca vi um preso brasileiro ter tantas regalias numa cadeia como o Fernandinho Beira-Mar?, acrescentou Paulo de Tarso, ressaltando que o governo do Rio está trabalhando para acabar com o problema.Beira-Mar já está respondendo a diversos processos, mas o governo não tem certeza se algum deles é da alçada federal, o que possibilitaria sua transferência para a Ilha das Cobras. ?É uma proposta que estamos estudando, mas ainda temos que ter sua condenação por um crime federal. Estamos analisando os processos ou inquéritos para ver se há relação dele com o tráfico de armas ou tráfico internacional de drogas?, disse Paulo de Tarso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.