Bebê indígena é morto em hospital

Um bebê de 11 meses, da etnia kulina, foi assassinado anteontem na enfermaria de um hospital de Manaus. Segundo uma enfermeira que não quis se identificar, o bebê estava internado desde janeiro em decorrência de pneumonia e desnutrição e foi jogado contra as grades de ferro do berço pela mãe, de 14 anos. Ela seria submetida a avaliação psiquiátrica. Há 2 semanas, 5 índios da mesma etnia teriam matado um rapaz e comido suas vísceras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.