BC funciona com autonomia operacional, diz diretor

Pela primeira vez desde que o tema virou polêmica no debate eleitoral, algum representante do Banco Central falou sobre a autonomia da instituição. Durante entrevista coletiva nesta quinta-feira, 18, a primeira reação do diretor de Fiscalização, Anthero Meirelles, quando abordado sobre o assunto, foi dizer que não comentaria a campanha eleitoral.

CÉLIA FROUFE E VICTOR MARTINS, Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2014 | 13h44

Na sequência, porém, ele relatou sua experiência e garantiu que durante todo o período em que ocupa uma cadeira no Comitê de Política Monetária (Copom) o BC funciona com autonomia operacional. Anthero lembrou que é o mais antigo da atual formação da diretoria, ocupando o cargo há sete anos.

"Todas as decisões que tomei aqui foram minhas, de consciência tranquila", afirmou. "Nunca recebi nenhum tipo de demanda, sugestão ou qualquer coisa que pudesse me impedir de me posicionar ou decidir", continuou. Ele ainda fez questão de enfatizar que o BC precisa dessa autonomia operacional para trabalhar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.