BC e reforma trabalhista não são prioridades, diz líder do PT

O PT na Câmara deverá adiar a discussão sobre a autonomia do Banco Central, segundo informou o líder da bancada, Arlindo Chinaglia (SP). "Oriento-me pela posição assumida pelo presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) de que essa discussão, no momento, não é prioritária", disse Chinaglia, que participa de um seminário do partido para discutir a Agenda Legislativa de 2004. No último dia 29, o novo líder tinha afirmado que este tema seria duscutido pela legenda.O líder defendeu que a reforma trabalhista também não deve ser tratada neste ano. "Acho que devemos nos concentrar em propostas para a geração de emprego", disse. Desde o ano passado, o governo e a bancada petista têm se manifestado contra a votação da reforma trabalhista este ano, em função das eleições municipais. Chinaglia disse que o Congresso não deverá paralisar suas atividades, mas adaptar o seu ritmo às eleições previstas para outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.