BBB da CPI: Queiroga entra em campo de novo em dia de Copa América e 'infectorologistas'

Em novo depoimento, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, surpreende pela postura de ataque, defesa do futebol e sinceridade sobre falta de infectologistas ou "infectolorologistas" no ministério

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2021 | 17h42

Com a experiência de já ter se sentado antes no banco de testemunhas da CPI da Covid, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, apresentou-se nesta terça, 8, aos senadores que investigam ações e omissões do governo Jair Bolsonaro ao longo da pandemia com uma roupagem mais segura e até mesmo combativa. Rebateu o relator Renan Calheiros (MDB-AL) por diversas vezes e, claro, ganhou as redes.

 

Ainda pela manhã, Queiroga, no entanto, chocou parte dos internautas que acompanham a CPI da Covid ao afirmar que não há nenhum infectologista em seu ministério. A declaração foi tão surpreendente que até mesmo os senadores governistas tentaram desmentir Queiroga em tempo real. Marcos Rogério (DEM-RO) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS) fizeram esse papel, mas aí já era tarde...

Mas teve gente que se incomodou foi com a 'pronúncia' da palavra infectologista, que acabou virando "infectorologista", nas palavras de Renan. Ou mesmo com a maneira do presidente Omar Aziz (PSD-AM) citar o ex-assessor da Presidência Arthur Weintraub ou a famosa ivermectina, aquela do kit covid.

 

Mas nesta terça, as questões gramaticais, de pronúncias ou mesmo médicas foram deixadas de lado em muitas oportunidades para se falar de futebol. Afinal, o que pode ser mais importante que a Copa América?

E até o Zé Gotinha foi escalado

 

E com direito a comentário do cientista Àtila Imarino

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.